Home > Notícias > Dia do índio é celebrado com atividades lúdicas e educativas

As crianças ficaram empolgadas com a caracterização indígena

O objetivo é trabalhar a preservação histórica e cultural

Durante todo o dia, os alunos da Casa da Menina “São Francisco de Assis” participaram de atividades temáticas, em comemoração ao Dia do Índio, celebrado hoje.

Entre as atividades, foram trabalhadas caracterizações diversas com temas indígenas, consciência ambiental, além de músicas e comidas típicas. O objetivo é trabalhar a preservação histórica e cultural.

De acordo com a coordenadora pedagógica, Saionaria Vieira Evangelista, ações como estas são ferramentas importantes para Educação.

“Trabalhamos com as crianças atividades pedagógicas temáticas, como o Dia do Índio, explorando a caracterização, além de músicas e comidas típicas. É uma ação importante, pois através das brincadeiras, os alunos conhecem um pouco mais da nossa cultura, dos costumes, além da importância da sua preservação da natureza”, considerou.

A presidente da casa, Angela Canassa acrescentou que, com a atividade, a intenção foi reforçar a importância da história do Brasil a partir do povo indígena.

“Com a comemoração do Dia do Índio foi trabalhada a história do Brasil, através do povo indígena, e sua importante contribuição cultural, artística e culinária, com atividades que envolveram, por exemplo, comidas típicas que ainda hoje prevalecem em nossa cultura. A finalidade foi mostrar aos alunos a importância dos primeiros moradores da Terra de Santa Cruz, que contribuíram para nosso enriquecimento cultural e, que os mesmos, hoje pouco existentes em nosso país, merecem um atendimento para sua manutenção de vida nas aldeias, onde sobrevivem, respeitando suas peculiaridades”, completou.

A Casa da Menina “São Francisco de Assis” atende mais de 400 crianças, com idades entre 4 meses a 4 anos em sistema de creche, e de 6 a 11 anos, em seus projetos.

Interessados em conhecer mais o trabalho desenvolvido na Casa da Menina podem visitar a instituição.

(Texto: Nayana Camoleze)